15 A 23 DE OUTUBRO: VII SEMANA DA DANÇA CONTEMPORÂNEA DE ESTARREJA

Segunda, 11 de Outubro 2004

Com um lugar já bem firmado no panorama das actividades culturais de Estarreja, vai ter lugar de 15 a 23 de Outubro a VII edição da SEMANA DA DANÇA CONTEMPORÂNEA DE ESTARREJA. A iniciativa realiza-se anualmente desde 1998, tem direcção artística de Elisa Worm e organização conjunta do BCN – Ballet Contemporâneo do Norte e da Câmara Municipal de Estarreja, principal financiadora da iniciativa. Desde sempre, o principal objectivo da Semana tem sido a criação de novos públicos, oferecendo, em simultâneo, ao público já frequentador do Auditório do Espaço BCN um conjunto de espectáculos de qualidade. Este ano a Semana tem uma ênfase muito especial na dança que se produz no distrito de Aveiro apresentando apenas companhias nele radicadas, nomeadamente, Estarreja, Aveiro e Espinho. Do 2º Programa de 2004, a apresentar em estreia absoluta pelo Ballet Contemporâneo do Norte, constam os trabalhos de lançamento de dois novos coreógrafos: «Balance» de Diana Silva, jovem bailarina de Estarreja, e «Há fogo na cozinha» de Mário Gonçalves. A VII Semana conta com a participação do Ballet Contemporâneo do Norte, Companhia de Dança de Aveiro, Vasco Otero e Move’in mentos Grupo de Dança Contemporânea de Espinho, num total de 7 espectáculos. Todos os espectáculos terão lugar no Auditório do Espaço BCN. Auditório Espaço BCN R. D. Manuel Ferreira da Silva, 63 Arrotinha - Beduído 3860-210 Estarreja Bilhetes e reservas: Telf/Fax: 234 844747 E-mail: bcn@oninet.pt VII SEMANA DA DANÇA CONTEMPORÂNEA DE ESTARREJA 15 a 23 de Outubro 15, 16 e 17 – 21:30h BALLET CONTEMPORÂNEO DO NORTE 2º Programa – 2004 BALANCE, de Diana Silva, estreia absoluta HÁ FOGO NA COZINHA, de Mário Gonçalves, estreia absoluta FLIPPIN’EK, de Luís Carolino 19 e 20 – 21:30h VASCO OTERO SWANS VERSUS ANGELS, de Vasco Otero MOVE’IN-MENTOS Grupo de Dança Contemporânea de Espinho I SHEARCH NOTHING..., de Eva Ramirez, estreia absoluta 22 e 23 – 21:30h COMPANHIA DE DANÇA DE AVEIRO ANTES QUE O INSTANTE ACABE, de Gislaine Sachet FORWARD::REWIND::PLAY, de Lara Pereira TOMARA QUE NÃO CHOVA HOJE, de Catarina Moreira 15, 16 e 17 OUT – 21:30h Ballet Contemporâneo do Norte Formado em 1995, o Ballet Contemporâneo do Norte, tem vindo a desenvolver o seu trabalho criativo na área da Dança Contemporânea. Impulsionado pelo desejo de contribuir para a formação estética e educação das sensibilidades que originem novos públicos, bem como pela vontade de aproveitar os recursos artísticos e humanos duma zona do país onde a Dança tem estado pouco mais do que ausente, o BCN encontrou, no concelho de Estarreja, o espaço ideal para lançar os alicerces de uma estrutura que, desde o início, se identifica com o projecto global de descentralização da produção cultural. Com o espectáculo «Última Dança», de Elisa Worm, estreado a 17 de Abril de 1998, levado a cena pelo BCN no Teatro Municipal Estarreja, realizou-se a I Semana da Dança Contemporânea, organizada pelo BCN em colaboração com o pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Estarreja. A «Última Dança» foi também levada a cena a 6 de Maio com a ilustre presença do Ex – Ministro da Cultura, Dr. Manuel Maria Carrilho, durante a sua visita ao concelho de Estarreja. Este foi um momento crucial na vida da companhia, tanto pelo desenvolvimento técnico e artístico revelado pelo espectáculo, como por ter sido a partir daqui que o BCN, por sugestão do Ministro da Cultura, foi integrado no programa de Itinerância do IPAE dando um novo impulso ao projecto. Em Janeiro de 2000, realizaram-se audições a nível nacional e internacional, apostando numa renovação do elenco da companhia com vista à desejada profissionalização. A 1 de Março, a Companhia assumiu então um carácter profissional, concretizando assim um dos muitos projectos do BCN. O BCN organiza sessões em horário especial para as escolas e terceira idade, espectáculos estes organizados em estreita colaboração com as escolas e as instituições de apoio à terceira idade locais, sem nunca descorar o público em geral, garantindo uma ligação estreita do projecto do BCN no seu todo ao tecido social em que se insere. No sentido de alargar o âmbito desta iniciativa à infância e à juventude, foram criadas sessões em horário especial para as escolas. Sempre a pensar na crescente formação dos bailarinos que compõem o elenco da companhia, e no futuro artístico do projecto, desde o início se tentou estimular a apetência e o talento pela criação coreográfica. Apostar no talento dos jovens bailarinos do BCN é apostar no futuro ao nível da criação artística na área da Dança Contemporânea concretizando, de facto, a ideia de descentralização da produção artística que o Ballet Contemporâneo do Norte tem vindo a pôr em prática. Ballet Contemporâneo do Norte Direcção Artística: Elisa Worm Gestão Administrativa e Contabilidade: Paulo Confraria Coreógrafos: Elisa Worm e Luís Carolino Bailarinos: Cátia Esteves, Joana Nossa, Mário Gonçalves, Susana Otero e Rui Marques Bailarina Estagiária: Diana Silva Produção: Luís Carolino Assistência de Direcção e Produção: Sandra Vaz Chefe Técnico: José Machado Assistente Técnico: João Teixeira 2º Programa 2004 BALANCE (estreia absoluta) Entre os pontos mais significantes da vida — nascer e morrer — existe a essência de cada um de nós: viver. O equilíbrio será o futuro de todos os racionalistas?... Coreografia: Diana Silva Colagem musical: Diana Silva Figurinos: Diana Silva Desenho de luz: João Teixeira Intérpretes: Joana Nossa, Susana Otero, Mário Gonçalves e Rui Marques Intervalo HÁ FOGO NA COZINHA (estreia absoluta) Numa realidade muito própria, longe dos olhares indiscretos, uma família convive em harmonia, partilhando pequenas rotinas do quotidiano que lhe são impostas, tendo pouco tempo para tantas funções, aumentando o stress com a manutenção do lar, o pagamento de contas, as responsabilidades de uma criança..., mas... eis que surge o grande momento... o momento por que toda a família espera ao longo do seu longo dia... o alienar em frente à TV... quando a imaginação passa a realidade e vive-se a vida de outros tornando-a nossa, passando de controladores a controlados, as personagens ganham vida própria, manipulando quem tem o real controlo. Num misto de vídeo games e novela mexicana, as personagens passam para a realidade, sendo atentamente observados por aqueles que mais são influenciados pela cultura televisiva. Em resumo: controlamos as nossas vidas ou somos manipulados por forças de algo que deveríamos controlar. Coreografia: Mário Gonçlaves Música: Shalabi Effect Figurinos: Mário Gonçalves Desenho de Luz: João Teixeira Interpretação: Joana Nossa, Susana Otero, Cátia Esteves, Rui Marques e Diana Silva Intervalo FLIPPIN’ EK Estreado em Estarreja a 28 de Outubro de 2000 «Eu não sei nada das leis que fazem reunir-se estas pessoas que não se conhecem, que eu não conheço, nesta rua onde vou pela primeira vez na minha vida, e onde nada tenho a fazer, a não ser olhar esta multidão que vai e vem, se precipita, pára: o que fazem estes pés sobre os passeios, estas rodas sobre as calçadas? Para onde vão? Quem os chama? Quem os faz regressar? Que força ou que mistério os faz pousar alternadamente no passeio o pé direito e depois o esquerdo, com uma coordenação que dificilmente poderia ser mais eficaz?» George Perec Coreografia: Luís Carolino Colagem musical: Luís Carolino Desenho de luz: José Machado Figurinos: Luís Carolino Intérpretes: Cátia Esteves, Susana Otero, Joana Nossa, Diana Silva, Mário Gonçalves, e Rui Marques DIANA SILVA Nasceu em Coimbra. Iniciou aulas de ballet clássico em Estarreja. Desde 1990 até 1995 participação anual em espectáculos de final de ano e com outras escolas de ballet do distrito. Realizou exames feitos pela Royal Academy of Dancing Entrou para o BCN em 2002, dançou no espectáculo Porta Norte de Elisa Worm e Mafalda Deville. Participou num seminário orientado pelo coreografo Fabrizio Pazzaglia. Actualmente dança em todas as produções do BCN. Em 2004 coreografa para o Ballet Contemporâneo do Norte «Balance», peça incluída no 2º Programa de 2004 desta Companhia. MÁRIO GONÇALVES Nasceu no Porto. Realizou estudos nas áreas da Dança Aeróbica, Dança Jazz e Dança Moderna. Tem desenvolvido uma extensa actividade junto de colectividades e associações, recreativas locais, sendo principalmente responsável pelo Grupo de Dança Atêén e pela secção de Dança do Grupo Dramático e Beneficente de Rio Tinto. Colaborou, como coreógrafo, na revista «2000 vai ser baril», Teatro Sá da Bandeira, Porto. Foi aceite como estagiário pelo BCN em 2000 tendo passado bailarino efectivo em 2001. Dançou em todas as produções da companhia. Em 2004 coreografa para o Ballet Contemporâneo do Norte «Há fogo na cozinha», peça incluída no 2º Programa de 2004 desta Companhia. LUÍS CAROLINO Nasceu no Seixal a 6 de Outubro de 1959. Licenciado em Arquitectura pela ESBAL. 1983 – Conclui o Curso de bailarino pela Escola de Dança do Conservatório de Lisboa. 1979 – Enquanto estudante, torna-se membro fundador do Dança Grupo, a primeira companhia de dança contemporânea independente, portuguesa. 1980/1990 – Como coreógrafo realizou coreografias para o Dança Grupo, Ballet Contemporâneo do Norte e para a peça “Paixão Fim de Estação” dirigida por São José Lapa, entre outras. 1984 – Com bolsa do Ministério da Cultura, estuda em Nova Iorque com Majory Mussman e Ernest Pagnano. Dança com Carol Fonda & Dancers, o bailado “ Circles, rings and other nearly rounded things”. 1988 – É premiado com o I Prémio no Concurso Jovens Criadores Portugueses. 1990 – Recebe o III prémio no Concurso Internacional de Istres, França. 1984/1991 – Apresenta-se com o Dança Grupo em Portugal França, Itália, Rússia, Lituânia, Eslovénia. Com a Companhia de Olga Roriz actua em Potugal, Brasil, Alemanha, USA; e, em Bruxelas, sob a direcção de Ricardo Pais. 1993 – Reside em Amsterdão onde trabalha com Ivan Kramer e Benjamin Harkavy, entre outros. 2000 – Tem feito parte integrante do corpo docente da ADCS e dirigido aulas e ensaios da companhia CêDêCê de Setúbal. A partir do mês de Setembro passa a colaborador efectivo do Ballet Contemporâneo do Norte – Estarreja, como prof./Ensaiador, coreógrafo e produtor e cria o espectáculo Amanhã Decido/Flipin’EK. 2003 – Cria para o BCN, Teologia da Queda. 19 e 20 OUT – 21:30h Vasco Otero Move’in-mentos Grupo de Dança Contemporânea de Espinho VASCO OTERO SWANS VERSUS ANGELS Todo o vosso corpo, desde a ponta de uma asa até à ponta de outra asa, não é mais do que o vosso próprio pensamento, uma forma que podem ver. Quebrem as correntes do pensamento e conseguirão quebrar as correntes do corpo. " Angels versus Swans" é uma proposta de uma viagem para o sítio onde os anjos e os cisnes co-habitam. Será que os anjos existem? Poderão ser a representação dos cisnes? Sendo os anjos (irreal) e os cisnes (real) – duas imagens puras – será o próprio espectador que ao longo de um percurso de trinta minutos irá questionar-se o que será a representação corporal quer dos anjos, quer dos cisnes ou mesmo a fusão de ambas. Tu tens a liberdade de ser tu próprio, o teu verdadeiro eu, Aqui e Agora; nada se pode interpor no teu caminho. (Richard Bach) "Angels versus Swans" teve como ponto de partida diferente "texturas" e qualidades de movimentos, baseando-se sobretudo em movimentos de manipulação e impulsos sobre diferentes situações quotidianas. Os bailarinos intervenientes foram "convidados" a entrar num tipo de quarta dimensão, ou seja, foram orientados a entrar num determinado mundo – a imaginação. Aí exploraram diferentes pontos do corpo em relação, quer a um determinado espaço individual, quer a um preciso espaço colectivo. Vasco Otero e Beatriz Flores – Julho, 2004 Coreografia: Vasco Otero Vídeo: Beatriz Flores Colagem musical: Vasco Otero Figurinos: Ilva Otero Desenho de Luz: José Machado Intérpretes: Cátia Esteves, Diana Silva, Joana Nossa, Mário Gonçalves, Rui Marques e Susana Otero – bailarinos do Ballet Contemporâneo do Norte Vasco Otero Nasceu no Porto a 15 de Janeiro de 1979. De 1991 a 1999 estuda Dança Clássica na Academia de Bailado do Porto, com Paula Lino; no Centro de Dança do Porto, com Teresa Vieira; e na Academia de Bailado Fernanda Canossa, com Fernanda Canossa; e Dança Contemporânea no Centro de Dança do Porto com Ana Figueira e Cláudia Pereira. Desde 1997 tem vindo a criar peças coreográficas regularmente destacam-se: «Grito de Amor» e «Improvisos» (1997); «Utopia do Amor» e «Reflexos» (1998); «Dança Macabra» (1999); «The Dream» e «Dejá vu» (2000); «Dança de um Madre (deus)» (2001); «Feiticeira» (2002); «Saudade» (2003) projecto final de licenciatura em coreografia, London College of Dance, Bedford; «Dobrar Colheres» e «Angels versus Swans #1 e #2». Desde 2000, tem dançado em diversos espectáculos com coreografias de diversos autores em Inglaterra. Desde 1998/99 tem ensinado Estudo de Movimento e Coreografia em diversas escolas e estúdios, em Portugal e Inglaterra. Encontra-se, neste momento, a finalizar o trabalho de fim de mestrado em coreografia pela Universidade de Middlesex, Londres Intervalo MOVE’IN-MENTOS Grupo de Dança Contemporânea de Espinho Este grupo de dança contemporânea, que recentemente iniciou a sua formação, surgiu de um sonho comum de todos os seus elementos no sentido de satisfazer a sua paixão pela dança. Tem como objectivos a sensibilização do público em geral para a arte da dança, estimulando a sua prática de modo a educar a sensibilidade da estética, da personalidade artística e da comunicação de uma arte que se destina a ser vista. I SEARCH NOTHING… and I find nothing more or less than thoughts, dreams and fantasies (estreia absoluta) Não existe uma história particular ou um significado específico para esta peça coreográfica, surge de uma amálgama de recordações, experiências e sensações. É uma viagem através da projecção do pensamento de um elo comum entre os diferentes quadros que a compõem. É a descoberta da troca de energias entre os seus intérpretes. Coreografia: Eva Ramirez e todos os intervenientes. Colagem Musical: Paulo Soares Figurinos: Eva Ramirez Intérpretes: Bárbara Rola, Carolina Freire, Carla Wanzeller, Catarina Vasconcelos, Cristina Tavares, Diana Mesquita, Eva Ramirez, Jorge Vieira, Margarida Ferreira, Maria Vorontsova, Marina Sousa, Nilsa Silva, Pedro Cardoso, Pedro Carvalho, Raquel Mesquita, Selma Ribeiro e Sofia Dias. EVA RAMIREZ Nasceu em Madrid. É Bacharel em Marketing e Publicidade. Iniciou os seus estudos de ballet clássico aos 8 anos de idade com Conchita Ramirez. Ao longo da sua formação trabalhou, também, com Lesley Mason, Helena Coelho, Rui Horta, Helena Vorontsova, Tatiana Vassilieva, Margarita Alfimova, Youri Vassilcov, Alexandre Vorontsov, entre outros. Foi bailarina da Companhia de Dança de Aveiro (1987-1995) onde trabalhou com Wilson Dominguez, Grant Mc’Daniel, Maria do Carmo Costa, Luís Carolino e Elisa Worm. Destacando o seu trabalho nas coreografias: “Memórias” da autoria desta última; “Recuerdos” de Conchita Ramirez e “Odes” no papel de “Kassandra de Tróia” de Mª do Carmo Costa. Ao serviço desta companhia participou em vídeos promocionais: “A cerâmica do Homem em construção” argumento e realização de Luís Filipe Sarmento e “O Reino da Água-Aveiro do Vouga ao Atlântico” realizado por Domingos Monteiro. Com esta companhia deslocou-se ao Brasil, Espanha, França e Macau. Foi, também, bailarina do BCN – Ballet Contemporâneo do Norte (1995-Dezembro 1999) onde coreografou juntamente com Mafalda Deville “Duas Canções, Dois Sentimentos”. Destaca-se a sua participação na peça coreográfica “A Última Dança – Anton Tchekhov”de Elisa Worm no papel de “A Gaivota” e nas “três Irmãs”. Ainda nas duas obras coreográficas de Luís Carolino “Espelho meu, espelho meu…” e ”As três Graças” no papel de”Afrodite”. De salientar a participação no Dia Mundial da Dança em Abril de 1996 no Coliseu do Porto, e as deslocações ao Teatro Luís de Camões em Lisboa e a França. Como bailarina independente, participou no projecto de João Costa (Abril de 2002) “Nonsense Consentido – projecto de Composição em Tempo Real” no âmbito do programa da C.M.E. “Tucá-Tulá”e, ainda, para o programa “De Par em Par” (C.M.E.) (Dezembro de 2002), participou como intérprete e co-coreógrafa no projecto de Ruben Folha “LSD”. Ainda, a convite da Companhia Nós Da Dança participou no projecto do coreógrafo internacional Bruno Heynderickx “FIMM”, cuja estreia se deu a 29 de Abril de 2004 em Vila do Conde. Como coreógrafa participou no programa “Tucá-Tulá” com as coreografias “Sim, meu amo!” e “Memórias de Sal” (Abril de 2002) e, ainda apresentou duas peças coreográficas no 1º Encontro de Jovens Coreógrafos na Póvoa de Varzim. No âmbito pedagógico será de salientar o trabalho desenvolvido desde 1999 na Escola de Bailado Giselle como professora de Ballet Clássico e de Dança Contemporânea, tendo coreografado para esta escola as peças: “A Caminhada” com participação de João Costa (1998), “Dia e Noite” (2000), “Impossível Calma” (2001), “Olho-me No Espelho…” (2002) e “Paroles…” (2003). Participou, ainda, em diversos Workshops de dança com Pedro Berdayes, Bruno Listopad e Nicollas Cantillon em Dança Contemporânea; Margarida Bettencourt em Técnica Cunningham, Miriam Barbosa em Técnica Graham, Bruno Heynderickx em Repertório de Rui Horta e Ballet Clássico, Ana Martinez e Carlos Benabides em Flamenco e Clássico Espanhol. Realizou um estágio de Ballet Clássico na Escola do Ballet Kirov, em S. Pittersburgo (Verão 1991). Participou como figurante especial no filme “Em Clandestinidade” de John Malkovich (Junho 2000) e trabalhou, ainda, como bailarina no filme “Joana a Louca” do realizador espanhol Vicente Aranda sob a alçada do coreógrafo Vicente Trindade (Novembro 2000). Encontra-se neste momento no Teaching Program Certificate da Royal Academy of Dancing. 22 e 23 OUT – 21:30h Companhia de Dança de Aveiro Em 1986, por sugestão da Secretaria de Estado da Cultura, era assinado entre o GEMDA - Grupo Experimental de Música e Dança de Aveiro, Associação Cultural sem fins lucrativos, criada em 1983 e a Câmara Municipal de Aveiro, um Protocolo que visava a criação da Companhia de Dança de Aveiro. Em 1987 e 1988, também através de uma proposta da Secretaria de Estado da Cultura, teve a CDA o apoio do Fundo Social Europeu, que possibilitou que essa formação fosse dinamizada e, simultaneamente, melhorado o equipamento a nível de material técnico ( som, luz e palco ). É, portanto, desde 1986, que tem vindo a ter, ininterruptamente, o apoio da Secretaria de Estado da Cultura e, mais tarde, do Ministério da Cultura. Um dos objectivos principais desta Companhia é a divulgação da Dança, para o que efectua a formação de Bailarinos e Técnicos de Montagem de Espectáculos, que, realizando espectáculos, torna viável essa acção. A Formação dos seus elementos, essencialmente estudantes, mas não só, tem continuado a ser um dos seus grandes objectivos, para que através da realização de espectáculos de Dança diversificada, acessível e agradável, mas afastada do popularucho e com desafiantes laivos de contemporaneidade, se consiga divulgar a Dança e cativar o Público e Novos Públicos. Assim, tem sido possível realizarem-se espectáculos por todo o País e pelo Estrangeiro, com assinalável êxito. Para tal ter sido possível, contou-se essencialmente com os apoios do Ministério da Cultura, Câmara Municipal de Aveiro, Instituto Português da Juventude, Governo Civil de Aveiro e de diversos particulares. ANTES QUE O INSTANTE ACABE Estudo coreográfico que questiona as formas de vida do Homem contemporâneo, suas vivências e anseios, retractando subjectivamente o momento em que vivemos, onde as opções são mais difíceis e menos significativas. O trabalho parte da visão do quotidiano, onde as relações intra e interpessoais são abordadas e contextualizadas, demonstrando correlação directa entre a superficialidade e a solidão, no instante vivido que passa e se esvai entre a instabilidade e a pressa… Coreografia: Gislaine Sacchet Colagem musical: Gislaine Sacchet Desenho de Luz: Ana Bueno Figurinos: Gislaine Sacchet intervalo FORWARD::REWIND::PLAY Eu não sou um corpo; sou uma alma que habita um corpo... A autora pesquisou os percursos de vida para além do corpo de cada intérprete, conduzindo-os a reviver emoções passadas — alegrias e dores, quedas e subidas, ódios e paixões — em interpretações aonde as sensações se revêem na poesia de cada bailarino; projectar o corpo, dividir, desconstruir, reinventar até ao ponto de conseguirem ver o fio por trás de cada encontro. Sim, porque existe um fio ali! Lara Pereira apresenta a sinergia entre a abstracção das emoções e a linguagem corporal. Coreografia: Lara Pereira Colagem musical: Lara Pereira Desenho de Luz: Ana Bueno Figurinos: Lara Pereira Intervalo TOMARA QUE NÃO CHOVA HOJE É um bailado que aborda as pessoas como seres sociais e comunicantes, vulneráveis e influenciáveis pelo estado do tempo, despretensioso, de interpretação fácil e acessível a qualquer tipo de Público, porque o tema diz respeito a todos. Coreografia: Catarina Moreira, Colagem musical: Catarina Moreira Desenho de Luz: Ana Bueno Figurinos: Catarina Moreira. GISLAINE SACCHET Formação em dança clássica com Luna Andermatt. Estudou no London Studio Centre e na London Contemporary Dance School. Trabalhou como intérprete com João Fiadeiro, Vera Mantero e Miguel Pereira.. Estudou em Nova Iorque no Instituto Lee Strasberg. Em 1999, juntamente com o músico Sérgio Pelágio criou a associação cultural: Produções Real Pelágio, subsidiada pelo IPAE/MC. Participou no projecto-piloto "International Dancemakers Lab" coordenado pelo MultiArts Project, Nova Iorque. - ". Espectáculos realizados: 1995 - "Pour Bien" - Culturgest (Prémio de Reposição O Teatro na Década/96 do Clube Português de Artes e Ideias). 1996- "Road Movie" - Fundação de Serralves. 1997- “Casio Tone” - Festival Danças na Cidade (representou Portugal na “Reperage”, Lille”e na "Biennale dei Giovanni Artisti dell'Europa e del Mediterraneo", Roma) 1998- "Assim vai o mundo" - Festival Mergulho no Futuro, Expo 98/IPAE e foii intérprete na peça "Strategies to adopt when envious" – Culturgest, do músico Sérgio Pelágio. 1999- “O eco do eco” - Encontros Acarte 2001 – “Handy #23” - Festival Citemor/Centro Cultural de Belém. 2002 – “Solo para dois intérpretes #1 e #2” - Centro Cultural de Belém. Desde 1996 que Sérgio Pelágio é co-autor de todos as peças acima mencionadas. Tem apresentado os seus trabalhos em vários teatros na Europa e EUA (Nova Iorque, Bélgica, Áustria, Portugal, Alemanha, Holanda, França, Espanha, Eslovénia e Itália). LARA PEREIRA Nasceu em Lisboa. Iniciou os seus estudos musicais em guitarra clássica com 12 anos de idade. Em 1982, descobriu o Jazz e a música improvisada, tendo tocado desde então com músicos como David Liebman, Andy Sheppard, Graham Haynes, Frank Lacy, Norma Winston, John Abercrombie, Sylvia Cuenca, Bernardo Sassetti e Mário Laginha, com quem gravou o CD “Hoje” (1994, Farol Música Lda). Em 1992, criou o grupo IDEFIX com o qual gravou o CD “Idefix live” (1992, Miso Records). Compôs música para vários espectáculos de coreógrafos portugueses: - Paulo Ribeiro, Paula Massano (“Anteros, o Amante Visual”), João Galante e Teresa Prima (“O Céu fica por Cima”) - Vera Mantero (“Sob”, “Different skies, different clouds”/Batsheva Dance Company -Israel, “Para enfastiadas e profundas tristezas” -prémio Bagnolet 96-). - Francisco Camacho (“Desperdícios”, “Quatro e um Quarto”, “Auto-retrato”, “Primeiro nome: Le” -prémio Acarte/Maria Madalena de Azeredo Perdigão 1994/95-, “Gust”, “My name is Wilde...Oscar Wilde” e “Silence so sexy”). - Sílvia Real (“Natasha”, “Pour Bien”, “Road Movie”, “Casio Tone”, “Assim vai o Mundo”, “O eco do eco” e “Handy #23” sendo nos cinco últimos também co-autor). Compôs a música para as curtas-metragens de Rita Nunes “-9” e de Paulo Abreu “Xonor”. Compôs a peça musical “Strategies to adopt when envious” integrado no espectáculo “Os Sete Pecados Capitais”, uma encomenda da Culturgest. Em Janeiro de 1999, juntamente com Sílvia Real criou a Associação Cultural “Produções Real Pelágio”. Em 2002 co-criou com Sílvia Real o dueto “Solo para dois intérpretes #1 e #2”. Editou o CD (2002, Miso Records).“Bandas sonoras para peças de Francisco Camacho Vera Mantero” (1993-97). CATARINA MOREIRA Habilitações Literárias: 12.º Ano do ramo de Artes, História de Arte e História do 1.º ano do curso de Arquitectura, Bacharelato em Dança – Escola Superior de Dança de Lisboa Habilitações Artísticas: Curso da Royal Academy of Dance (children examination) Professores com quem trabalhou: João Andrade, Vasco Wellencamp, Graça Barroso, Armando Jorge, Carlos Caldas, José Luís Viana, Marc de Graft, Patrick Hurde, Ruth Silk, Tíndaro Silvano, Cristina Graça, Manuela Valadas, Margarida Bettencout, Fernando Crespo, Vera Amorim, Edgar Fortes, Alberto de Sousa, Gil Mendo, Maria José Fazenda, Graziela Sintra, Peter Michael Dietz, Luís Damas, David Yoken, Nuno Almeida e Tai Chi Chuan. Participação em Estágios e Cursos: Curso de Dança da Sussex Summer School (prémio Incentivo) – Inglaterra 1994. Estágio Internacional de Dança de Brasília 1995. 1.º Curso Técnicas Dança Clássica da EDOL 2001 1.º Curso Técnicas Dança Contemporânea da EDOL 2001 2.º Curso Técnicas Dança Clássica (Flexibilidade e Dança) da EDOL 2002. 2.º Curso Técnicas Dança Contemporânea da EDOL 2002. Participações em trabalhos coreográficos com: Tíndaro Silvano, Benvindo Fonseca, Rita Judas, Rita Reis, Dora Fonseca, Ana Bueno, Jean-Paul Bouchièri, Luís Damas, Patrícia Henriques, Sofia Inácio, Ofélia Cardoso, Solange Oliveira, Berta Fernandes, Rui Pinto, Sofia Soromenho, Susana Lima, Gaghik Ismailian, Paulo Ribeiro e Vasco Wellencamp. Participações Profissionais em Companhias Companhia Paulo Ribeiro Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo Trabalhos Coreográficos: “Mio Corpo é Mia Alma”-95, “La Fúria de la Passion”-96, “Embróglio”-96, “Não Chorem!”, “(x+a)+bc=Z*”-97, “Força”-97, “Alice no País das Maravilhas”, “O Piquenique”, “Raízes”, “Upa-lá Gnomos”, “Do Outro Lado do Som”, “As Lendas e Milagres de Leiria”, “Álbum de Viagens” e “Sonorido Rojo”. Experiências de Ensino Presentemente: Funções Docentes na Escola de Dança do Orfeão de Leiria desde 97 Ensina Dança Clássica e Contemporânea no Ginásio Socorpus em Lisboa desde 97 Professora do Conservatório de Dança de Lisboa Coreógrafa Convidada da Companhia de Dança de Aveiro em 2002, tendo então coreografado o bailado “Tomara Que Não Chova Hoje”.