RISCO DE INUNDAÇÕES: O ALERTA PARA A PREVENÇÃO

Quarta, 20 de Outubro 2004

O Centro Distrital de Operações de Socorro de Aveiro (CDOSA) alerta para a implementação de medidas de prevenção face ao risco de inundações por causa da época das chuvas. Segundo refere a informação do CDOSA dirigida ao Presidente do Serviço Municipal de Protecção Civil, José Eduardo de Matos, existem no distrito de Aveiro diversas zonas de potencial risco, devido à sua geografia e ocupação humana. A prevenção tem um papel importante na minimização das consequências das cheias. As principais causas das pequenas inundações são os obstáculos à circulação e drenagem regular das águas pluviais, nomeadamente: - Materiais depositados nas embocaduras dos sistemas de drenagem; - A disseminação de detritos vegetais e de inertes ao longo das valetas das vias de comunicação; - O abandono dos resíduos das actividades agrícola, florestal e extracção de inertes junto às vias de comunicação e dentro das linhas de água. Estas situações provocam o arrastamento e concentração de resíduos sólidos em sarjetas, sumidouros e valetas e o assoreamento de linhas de água, com consequências gravosas a vários níveis: - Excessivos caudais de escoamentos pluviais à superfície, em áreas urbanas; - Inundações dos pisos baixos dos edifícios urbanos; - Isolamento das populações; - Destruição ou degradação de troços de estradas - Inundação das áreas marginais às linhas de água assoreadas. É por isso necessário implementar medidas preventivas. Os proprietários de terrenos, onde passam linhas de água, devem obrigatoriamente proceder à sua limpeza para um melhor escoamento das águas. Por outro lado e dando cumprimento às normas legais em vigor, os cidadãos estão proibidos de depositar resíduos e detritos em valetas e linhas de água obstruindo a passagem das águas. Devem sim mantê-las limpas. Com o objectivo de minimizar os prejuízos provocados pelas chuvas, a Câmara Municipal de Estarreja tem vindo a ampliar a Rede de Drenagem de Águas Pluviais em todas as Freguesias do Concelho e a proceder à limpeza de linhas de água, sarjetas, valas, caixas de drenagem, grelhas e outros esgotos de águas pluviais e domésticos. Em alguns pontos, as Juntas de Freguesia têm também cumprido essa função de limpeza de sarjetas, valas e linhas de água. Em termos concelhios, a Câmara Municipal defende a realização de um Plano de Requalificação da Rede Hidrográfica com o objectivo de, em primeiro lugar, efectuar o levantamento dos cursos de água existentes e, seguidamente, ponderar as medidas e acções a implementar de acordo com as necessidades inventariadas. A Autarquia sugeriu ao GAT – Gabinete de Apoio Técnico de Aveiro a possibilidade de concretização de um plano hidrográfico mais abrangente atendendo à lacuna existente, a esse nível, na região e não apenas no Município estarrejense.