Viagem às Tradições e à nossa identidade

Iniciativa começou em Fermelã e continua hoje em Pardilhó

Terça, 15 de Maio 2018


Blusa de tecido de chita, chapéu de palha com lenço a segurar, bilha à cintura com água para matar a sede do árduo trabalho do campo e um cordão a segurar a saia, garantindo que as pernas ficam protegidas de olhares indesejáveis. Assim se apresentou a dona Idalina como Ceifeira de Fermelã na primeira Viagem às Tradições que decorreu no Rancho Folclórico As Tricaninhas de São Miguel de Fermelã, no último sábado.

 

A Viagem às Tradições continua esta noite com o Grupo Etnográfico Danças D’Aldeia de Pardilhó, às 21h, no Club Pardilhoense. Ainda pode participar (inscrições gratuitas neste link http://bit.do/viagemtradicoesinscricao).

 

O anfitrião da tarde, Carlos Cunha, presidente da coletividade e um dos seus fundadores, aplaudiu a iniciativa. “É muito bom para nós e para os participantes que ficam a conhecer a tradição de cada freguesia. Estas visitas deviam continuar, para nós é uma mais-valia”, disse. O grupo tem atualmente 42 elementos e o desafio é renovar o elenco por isso Carlos Cunha deixou o convite aos curiosos e interessados para que apareçam nos dias de ensaio do grupo, às sextas-feiras, a partir das 21h30.

 

Uma das participantes, Vera Lopes, considera que foi “muito gratificante” visitar o grupo de folclore. “Acho que todas as pessoas deviam ver o que há nas nossas freguesias, é gratificante ver pessoas de idade ainda com muita vontade de manter as nossas tradições e acho que seria muito interessante fazer com as escolas primárias visitas de estudo para incutir nas crianças as tradições de Estarreja e da nossa região”. Quanto a dicas para o traje do Mercado Antigo, Vera leva algumas ideias apesar de, conforme confessou, por norma levar apenas um “um apontamento, um acessório”. Pode ser que esta visita a encoraje a colocar uma indumentária apropriada aos tempos idos.

 

Conhecer as nossas raízes, as tradições, os costumes e as profissões do passado, em particular dos finais do Séc. XIX e início do Sec. XX, é o objetivo da iniciativa da Câmara Municipal de Estarreja no âmbito do Mercado Antigo que se realiza a 2 e 3 de junho durante as Festas de Santo António, da Cidade e do Município 2018. Os ranchos e grupos de folclore abrem as suas portas para nos guiarem no tempo, num mostruário de trajes, partilhas de histórias, usos e memórias locais.