A cor azul invade Estarreja para alertar contra os maus-tratos na infância

A cidade ilumina-se em tons de azul por toda a comunidade estarrejense para assinalar abril, o Mês Internacional da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância.

Quinta, 01 de Abril 2021


A Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ), em parceria com o Município de Estarreja e o projeto PISTA – CLDS 4G, assinala o Mês Internacional da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância com um conjunto de iniciativas tendo como mote o slogan “Serei o que me deres... que seja amor”. O objetivo é agitar consciências e envolver todos os parceiros, e a comunidade em geral, e alertar para a violência contra as crianças.

Com o isolamento social é ainda mais importante proteger as crianças 

“Os maus-tratos em crianças e jovens são um problema social sério, com repercussões ao nível do seu desenvolvimento integral e, obviamente, nos adultos do futuro”, alerta a Presidente da CPCJ e Vereadora da Ação Social e Inclusão da Câmara Municipal de Estarreja, Isabel Simões Pinto. Nunca é demais alertar a comunidade estarrejense para esta problemática e lembrar que cada um de nós deve assumir comportamentos responsáveis, que não coloquem em perigo as crianças, alertando outros que os possam ter. Por isso, neste mês de abril, a Presidente da CPCJ de Estarreja salienta a importância de “voltar a envolver toda a comunidade nesta causa, desafiando instituições e famílias a participarem nas diversas iniciativas que propomos, para recordar que, nos diversos papeis que desempenhamos na sociedade, podemos fazer a diferença na prevenção dos maus-tratos na infância e dar o nosso contributo para a felicidade das crianças.”

A pandemia é sinónimo de tempos muito difíceis e desafiantes a diversos níveis, em que as famílias e, particularmente, as crianças e jovens são constantemente colocados à prova. De repente, pais e filhos viram-se obrigados a alterar rotinas e vivências com forte impacto na dinâmica familiar e no seu bem-estar físico e psicológico. Isabel Simões Pinto refere que “a instabilidade psicossocial e económica, provocada pela pandemia, favorece um contexto de risco de maus-tratos, colocando as crianças em perigo. Se estivemos conscientes deste risco, será, com certeza, mais fácil prevenir e adotar comportamentos protetores das nossas crianças e jovens.” 

A campanha Laço Azul começou quando uma avó norte-americana amarrou uma fita azul na antena do seu carro, de modo a demonstrar a sua dor face ao mau trato físico de que eram alvo os seus netos. O azul das lesões e das nódoas negras nos pequenos corpos serviria de lembrete constante para a sua luta na proteção das crianças. O movimento ganhou dimensão mundial.

Crie o seu laço azul para lembrar que as crianças devem ser protegidas

A CPCJ de Estarreja desafia toda a comunidade, as IPSS, as coletividades e outras instituições a criarem um laço azul, com os materiais que dispõem, para depois o amarrarem nas janelas, varandas e portas, num alerta para a violência contra as crianças. 

Todos são convidados a agitar consciências partilhando as fotografias dos laços nas redes socais com a hashtag #campanhalaçoazul #cpcjestarreja #cpcj

Edifícios iluminados de azul

Alguns edifícios municipais da cidade – Biblioteca Municipal, Paços do Concelho, CPCJ e Cine-Teatro –, estarão iluminados com a cor azul, sensibilizando a população para esta problemática e lembrando que a denúncia de uma suspeita de maus-tratos a uma criança é uma atitude responsável e um exercício de cidadania para a proteger.

Mural da Criança envolve a comunidade

Com o envolvimento da comunidade estarrejense, a CPCJ de Estarreja, com a colaboração do PISTA - Projeto de Intervenção Social das Terras do Antuã (PISTA – CLDS 4G), vai criar um mural da criança, sob o mote “Serei sempre Criança… mas infância só há uma”, para alertar para a problemática dos maus-tratos na infância e o impacto destes ao longo do percurso de vida.  O ditado diz que todos temos uma criança dentro de nós. Mas a criança que somos aos 30, 40 ou 60 anos estará sempre ligada à infância que vivemos. Quem quiser participar, deve enviar uma fotografia sua atual e uma da sua infância, até dia 20 de abril, para o email cpcj.estarreja@cnpdpcj.pt. O resultado final será divulgado nas redes sociais da CPCJ de Estarreja e do PISTA – CLDS 4G, no dia 26 de abril.

Fruto da 4.ª geração do programa “Contratos Locais de Desenvolvimento Social (CLDS 4G)”, o PISTA - Projeto de Intervenção Social das Terras do Antuã dinamiza ações integradas no Eixo 2: intervenção familiar e parental, preventiva da pobreza infantil. Qualificar as famílias, Mediar os conflitos familiares e Mobilizar crianças e jovens são os três campos de ação do PISTA, através de diferentes medidas, desde a promoção de diretos de cidadania, desenvolvimento de competências e aconselhamento em situações de crise, intervenção familiar de tipo grupal e através da mediação; ou a promoção de um estilo de vida saudável e da inteligência emocional.

Denunciar é uma atitude responsável. Participe na sessão de sensibilização

No dia 28 de abril, às 10h00, o webinar “Sinais de Maus-Tratos na Infância”, com a participação de Ricardo Mendonça, Médico Interno em Medicina Legal, e de Susana Tavares, Médica Especialista em Medicina Legal, ambos do gabinete Médico-Legal de Aveiro, vai dar a conhecer os sinais de maus-tratos que podem ocorrer em vários ambientes, nomeadamente no contexto familiar, escolar ou institucional. Quais os sinais a que devemos estar atentos enquanto profissionais e cidadãos? A iniciativa decorre na plataforma zoom, dirigida a profissionais (educação, saúde, intervenção social, etc), e é de participação gratuita, mas com inscrição obrigatória.

A Perceção dos estarrejenses sobre os maus-tratos

Durante o mês de abril, estará ao dispor dos estarrejenses um questionário que pretende aferir a perceção que a população tem sobre os maus-tratos na infância. O questionário será disponibilizado online e presencialmente, através das equipas da CPCJ, do projeto PISTA e de outras entidades parceiras.  

Para que se desconstruam mitos e passemos a ter uma visão mais atenta, a psicóloga Rute Agulhas, especialista em Psicologia Clínica e da Saúde, Psicoterapia e Psicologia da Justiça, marca presença no webinar “A Perceção de Maus-tratos na Infância”, onde fará uma análise das principais conclusões obtidas nos questionários.
Para participar no dia 14 de maio, sexta-feira, às 18h00, através da plataforma ZOOM. A participação é gratuita mediante inscrição obrigatória.