"Cordas no Museu” celebra a música na Casa de Egas Moniz

Amós Lora, Helena Madeira, Custódio Castelo, Mybe Edrima e M-PeX são os artistas convidados.

Segunda, 09 de Maio 2022


Estarreja acolhe, de 20 a 22 de maio, o Festival de Cordofones “Cordas no Museu”.  A Casa Museu Egas Moniz será o palco central do evento, que terá uma extensão no Cine-Teatro de Estarreja.

A iniciativa oferece à comunidade concertos, mostras, oficinas e workshops na Casa-Museu Egas Moniz, imóvel de interesse público, com a envolvente Quinta do Marinheiro, um dos símbolos concelhios do património natural aliado ao património cultural, num convite à fusão e fruição patrimonial com os cordofones, identitários de um povo e da sua cultura. 

Cine-Teatro recebe o primeiro evento do Festival
A abertura do Festival acontecerá no palco do Cine-Teatro de Estarreja com o concerto do jovem guitarrista espanhol considerado um dos percursores de Paco de Lucía, Amós Lóra, que acompanhado pelo pianista cubano Gito Maletá, unirá a música flamenca e o jazz.  A primeira parte deste espetáculo está cargo de Grutera, o alter-ego de Guilherme Efe, guitarrista nascido na Nazaré. Para ouvir e sentir dia 20, às 21h30.

Casa-Museu Egas Moniz abre as portas para desvendar e dar a conhecer a arte dos cordofones
No dia 21 de maio (17h), sábado, a cantora lírica e harpista, Helena Madeira, apresenta um concerto comentado onde o público ficará a conhecer o seu trabalho que reflete a sua constante busca de técnicas e de influências. 

Neste dia, a iniciativa acolhe ainda um dos nomes maiores da guitarra portuguesa, Custódio Castelo. Compositor, professor, produtor discográfico e músico, Custódio Castelo orienta, às 17h30, um workshop dedicado à guitarra portuguesa - entre o clássico e o moderno -, e à dicotomia entre a de Lisboa e a de Coimbra, numa ação aberta a todos os curiosos. 

Mais tarde, acompanhado por José Filomeno Raimundo, no teclado, o músico, que já colaborou com Amália Rodrigues, Maria Bethânia, Mísia, Ana Moura, Camané, Carlos do Carmo e Jorge Fernando, apresenta o concerto “Voz de Um Povo e o Nome de um País”, às 21h30.

Como se constrói um cordofone?
No dia seguinte, domingo, 22 de maio, Diogo Valente, um jovem construtor de cordofones, com oficina em Avanca – a Instrumentos Valente, é o responsável pela oficina/conversa “Processo de Construção de Cordofones” (às 16h00). Os participantes vão contactar com alguns processos envolvidos na manutenção e em pequenas reparações de cordofones.

O jovem Diogo Valente será o curador da Mostra de Cordofones, que decorrerá nos dias 21 e 22 de maio.

Ainda no dia 22, o ilustre tocador de kora, um cordofone da Gâmbia, Mybe Edrima apresenta na Casa-Museu Egas Moniz, através de um concerto comentado, a cultura Mande e a world music (às 17h00).

O encerramento do “Cordas do Museu” conta com o espetáculo, às 18h30, de M-PeX, músico, compositor e produtor, que nas suas criações ensaiam modernizar e globalizar a guitarra portuguesa da cultura nacional, culminando numa arrojada e inovadora confluência musical.

Este evento surge no âmbito do projeto “Descobrir e Experienciar Novos Territórios: Estarreja/Aveiro/Covilhã”, uma candidatura à Programação Cultural em Rede, liderada pelo Município de Estarreja e financiada a 100% pelo Programa Operacional Regional do Centro 2020, tendo como parceiros os municípios de Aveiro e Covilhã.

Programação completa e inscrições.